História - Pia Batismal na origem da Freguesia de Marrazes | União das Freguesias de Marrazes e Barosa

Saltar para conteúdo
19, Novembro 2017
foto 4
foto 2
foto 3
Foto 1
foto 5
foto 6
foto7
foto 8
newsletter
  • Twitter
  • Facebook
  • Youtube

Pia Batismal na origem da Freguesia de Marrazes

No século passado a Igreja tinha uma grande influência na Criação das freguesias, ou seja, quase sempre a sede paroquial acabava por corresponder á sede de freguesia. Marrazes não foi exceção. Em 1811, são dados os primeiros passos para a criação da freguesia de S. Tiago de Marrazes.

Nesta data devido a cheias a Igreja de S. Tiago do Arrabalde ficou praticamente em ruínas (tendo sido mais tarde utilizada pelos Franceses como Cavalariça), impossibilitando o pároco de realizar missas. A Pia Batismal é então transferida para a capela de Pinheiros, onde permaneceu 17 anos. Em 1828/29 o pároco Joaquim Azevedo (que foi o primeiro pároco da freguesia de Marrazes) resolveu construir a Igreja matriz da freguesia, contando para o efeito com o apoio da população e do Fidalgo do Amparo.

Apesar do descontentamento da povoação de Pinheiros, que chegou a ser manifestado ao Rei, a freguesia passa a ter sede no lugar de Marrazes. Nesta altura, a freguesia tinha 1443 habitantes e 318 fogos.

Em 1839 a Pia Batismal é novamente transferida para a recém-criada freguesia de Marrazes, a qual recebeu da anterior (S. Tiago do Arrabalde) o Orago - São Tiago - que englobava os lugares de Arrabalde da Ponte, Sismaria, Gândara dos Olivais, Outeiros da Gândara, Janardo com os Outeiros das Barrocas, Marinheiros, Marrazes e Pinheiros, passando o antigo bairro de São Tiago para a freguesia da Sé. E assim se formou a freguesia de S. Tiago de Marrazes.